quinta-feira, setembro 16, 2004

...nas horas do caraças!

Ontem à noite fui ao cinema… Embora fosse dia de semana tinha jantado cedo e aceitei o desafio de uns amigos meus para ir ao velhinho Atlântida Cine em Carcavelos, fomos ver o filme “The Terminal”.

Pareceu-me boa ideia para tentar quebrar um bocado a tendência de ver filmes de acção.

O dia tinha começado como a maioria dos outros dias de semana: Acordei destapado, sozinho e com asma. Como também acordei atrasado tive que adoptar a versão abreviada da minha rotina matinal: Uns salpicos de duche, a barba está bem assim, a camisa do dia anterior serve perfeitamente e de qualquer forma se tomar pequeno-almoço todos os dias vou acabar por ficar com barriga.

A viagem para o trabalho durou meia-hora. Como sempre a A5 estava fluida e a CREL estava perigosa, para variar.

Durante a manhã revi a acta da reunião de Agosto do meu departamento. Almocei descontraído com um Engº da Produção e com o meu Administrador, e depois, durante a tarde, contactei clientes, compilei um mapa de processos e saí mais cedo porque tive aula de condução (estou a tirar a carta de mota).

Depois da aula fui ver o mar e o por do Sol à praia de S. João do Estoril, tomei um café na esplanada, fui entregar uns DVDs ao videoclub e fui guardar a mota na garagem. Depois mandei vir uma pizza que comi a ver o telejornal e preparava-me para passar o serão em frente ao PC, para completar mais um dia, 100% racional…

Foi ai que o telefone tocou, a sessão de cinema começava dai a 10 minutos…

Como não sou crítico de cinema e sou suspeito no que toca ao meu gosto cinéfilo, não vou falar do filme…

Mas agradou-me muito constatar que não são só aspectos do elemento e da natureza ou da paisagem que despertam a “interferência sensitiva”, constatei e pensei que se o mundo fosse povoado de pessoas como o Viktor Navorsky seria um local muito melhor. Constatei que não ia a 180 Km/h a auto-estrada mas descontraidamente a 90 Km/h. Constatei que estando assim tão afastado do meu elemento puramente racional só iria perder tempo se me fosse sentar em frente ao PC. Constatei que estando assim tão na maior dormir iria ser um desperdício de tempo útil de vida…

…e também constatei que a Zeta-Jones é boa nas horas do caraças!

1 passageiros clandestinos:

Anonymous taninos chamou a hospedeira e disse:

Carissimo...
Obrigada pela discrição do teu dia...empregos assim são bons. Fiquei a pensar que tens uma vida mais normal do que pensava. Comer pizza sozinho, ver o telejornal? Nem parece teu. Ainda bem que foste ao cinema, descomprimir, ainda bem que tens nessa profundidade da alma ( lá no fundo, depois de escavar muito!)um pouco de romantismo. Realmente o mundo seria melhor se houvesse mais Viktor Navorsky, porque naquela imperfeição de vida, encontrou a sua. Quantos de nós poderão dizer o mesmo.
Resumindo...quando estiveres a emburrar, sem saber para que lado corre a vida...apita!

12:34 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit