quinta-feira, maio 14, 2009

*École Suppérieure de Comerce de Bordeaux *University of Portsmouth

O texto abaixo faz-me refletir sobre a escolha que fiz para a minha formação académica superior. Não é a vida, não é o estado da nação, não é sintomático de nada especial... é o que temos.

"Terminaram as chamadas "Queimas das Fitas" e, salvo raras excepções, o balanço foi o do costume: alarvidade+Quim Barreiros+garraiadas+comas alcoólicos. No antigo regime, os estudantes universitários eram pomposamente designados de "futuros dirigentes da Nação". Hoje, os futuros dirigentes da Nação formam-se nas "jotas" a colar cartazes e a aprender as artes florentinas da intriga e da bajulice aos poderes partidários, enquanto à Universidade cabe formar desempregados ou caixas de supermercado. A situação não é, pois, especialmente grave. Um engenheiro ou um doutor bêbedo a guiar uma carrinha de entregas com música pimba aos berros não causará decerto tantos prejuízos como se lhe calhasse conduzir o país. Acontece é que muitos dos que por aí hoje gozam como cafres besuntando os colegas com fezes, emborcando cerveja até cair para o lado, perseguindo bezerros e repetindo entusiasticamente "Quero cheirar teu bacalhau" andam na Universidade e são "jotas". E a esses, vê-los-emos em breve, engravatados, no Parlamento ou numa secretaría de Estado (Deus nos valha, se calhar até já lá estão!)."

Manuel António Pina. In “Jornal de Notícias”, 11 de Maio de 2009

2 passageiros clandestinos:

Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

Conheço alguns (ambos os casos...).

12:29 PM  
Blogger Sopa de Letras chamou a hospedeira e disse:

conheço uns quantos ....

12:47 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit