segunda-feira, maio 11, 2009

O dia de hoje começou ontem, e já foi há 1 ano atrás

Há um ano atrás, há exactamente um ano atrás a esta hora a minha mente estava entorpecida pela incerteza do futuro, sentia-me preso ao passado e cansado demais depois de 30 horas seguidas a empacotar 4 anos da minha vida em caixas, a deixar para trás 2 anos de castração e discussões e guerras e facadas enterradas nas costas. Decisões rápidas baby, snap snap, mesmo quando o processo que leva à decisão é longo demais, porque se acredita sempre naquilo por que se luta, e luta-se enquanto se acredita. Hoje tenho a certeza que tomei a decisão certa, e olho para mim e sinto-me maior que o mundo, embriagado pela liberdade, elevado, não guardo rancor …e o que sobra são apenas as palavras que escrevi, vagas, vãs, sentidas, sofridas, palavras quase esquecidas. Quis assinalar o momento, e nem sei bem porquê. Viva a minha Liberdade.

...e enquanto rólo no asfalto, sem destino definido, o mundo que deixo para trás vai desabando no retrovisor, sem nada que eu possa fazer para o impedir de desabar. Quem lá fica não fica melhor, ilude-se e é o melhor que consegue fazer. Tentei tudo, nem vale a pena descrever. Simplesmente contemplo o desabar de uma castelo de cartas, um saco de sonhos banais e pouco originais em que embarquei sem já saber porquê, sonhos usados e velhos e que nem são meus. Sonhos perdidos, esquecidos, adiados, abandonados... sonhos de quem não conhece muito mais do que fantasias mas cujos sonhos eu resolvi adoptar no dia em que decidi acreditar que valia a pena lutar.
Quanto aos meus sonhos, esses estão cá todos (não sei muito bem onde), na amalgama de destroços que trago comigo, num amontoado de caixas... Hoje sobrou-me o que um belo dia arrumei na prateleira quanto decidi assimilar um rumo diferente, uma decisão que não tomei sozinho. Adiante.
Enquanto o carro avança, a paisagem, laivos de verde e azul, de cinzento e vermelho rubro, desfila no canto dos meus olhos como traços de pincel que Alguém não teve mão firme para pintar.
No assento vazio ao meu lado morre uma papoila...
O veículo é uma máquina do tempo avariada; Vejo o futuro que está em frente mas está tudo tremido. Avanço no presente, faço-me destemido, e deixo para trás o passado... Nada disto estava planeado... A metáfora é uma vã ilusão de escape à realidade, como se a cada quilometro de estrada, a cada pincelada, uma nova realidade se fosse construindo... Vã ilusão... Vejo tudo desfocado e a estrada não me leva nem para onde quero ir nem de volta para ficar.
Só me resta continuar a andar, encontrar outros motivos para lutar, já agora por mim, para variar...
(...)

11 passageiros clandestinos:

Blogger XS chamou a hospedeira e disse:

A conclusão a que chego é que tudo passa, não é? Só temos que apostar em nós próprios. E foi o que fizeste!

Beijinho:)

7:23 PM  
Blogger Estrela chamou a hospedeira e disse:

Acho muito interessante este teu post.Agora além de se festejarem aniversários de namoro, casamento, o dia em que se deu banho ao cão pela primeira vez , também se celebram ou assinalam fins de relacionamentos.

Interessante teres-te lembrado, interessante a puta da ironia da vida, e por fim interessante a nostalgia patente no teu post.

Há pessoas ke nos marcam para o bem e outras que nos marcam para o mal. Depois há ainda as outras ke são homenageadas com direito a foto e tudo.

Realmente as pessoas são diferentes, eu pessoalmente, prefiro esquecer que certas pessoas me fizeram mal, e enterra-las com todas as más recordações e esperar lentamente que uma capa de indiferença se esbata sobre mim, o que normalmente ocorre em poucos meses. mas isso sou eu, que não sei nada.

Para finalizar, não posso deixar de ficar contente por ti.Por seres livre, e pela necessidade de o mostrar ao Mundo . Pessoalmente gosto bastante de gritos de libertação, é sempre o primeiro passo para um recomeço.

Abraço

7:52 PM  
Blogger Gala Dmitrievna chamou a hospedeira e disse:

Olá
Vejo que já conseguiste ultrapassar o que quer que tenha acontecido há 1 ano.
Concordo que tudo passa, ainda que demore muito tempo. A vida tem uma capacidade infinita de nos surpreender.

Beijo

8:07 PM  
Anonymous Deusa chamou a hospedeira e disse:

Fica-te bem a tua liberdade.
O amor não é uma prisão F, ainda bem que te libertaste.
É reconfortante saber que lutas até ao fim por aquilo em que acreditas.

8:47 PM  
Blogger Sopa de Letras chamou a hospedeira e disse:

Tudo passa, pode é demorar mais ou menos tempo e depende também do nosso empenho em que tudo passe e se possa seguir em frente.
Folgo em ver que passou , que seguistes em frente.
Tencionava fazer um comentário sério a este post intimista mas libertador, tenho de acrescentar que fico mto contente em ver outras pessoas além de mim celebrar não o fim mas o renascer , a liberdade depois do fim.
Beijinho Grande

9:52 PM  
Blogger Patrícia chamou a hospedeira e disse:

Um brinde à Fénix dentro de cada um de nós.

Que o caminho da felicidade se te abra numa estrada imensa, sem fim, por entre um sol que ilumine todos os obstáculos e permita contorná-los sem consequências.

11:28 PM  
Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

E sobreviveste, com toda a dignidade que te conheço.
Já lambeste todas as feridas, já as saraste e o melhor de tudo, é que consegues olhar para trás, sem te transformares numa estátua de sal.
Isso sim, mostra que estás completamente livre.
Lembras-te do "texto" do primeiro post que me comentaste?
Reproduzo-o só por ser para ti e porque o deves aplicar todos os dias:
"Quando sentires que tudo vai mal...como se o dia não fosse acabar...quando parecer que as coisas nunca mais melhoram...olha para o céu...abre os braços e grita...FODASSE!!! PUTA QUE PARIU ESTA MERDA!!!"Um dia destes, sentamo-nos os dois à beira-rio e gritamo-lo juntos, boa?
Um beijo, grande, e desculpa/obrigada por todas as partilhas destes meses todos e dos próximos que virão!
E como já te disse várias vezes, estimo a tua amizade e espero que continues genuíno como és.

12:08 AM  
Blogger Avis Rarum chamou a hospedeira e disse:

Afinal... não és o pai...
Abraço!!!!
:)

10:15 PM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

O perigo que resulta da liberdade conseguida após muita hesitação, é que nos agarramos muito a ela e tememos perdê-la (digo eu...)

Beijinhos

3:41 AM  
Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

XS: Sim, tudo passa, mais depressa ou mais devagar, mas acaba por passar.

Estrela: Naturalmente que me lembro, penso que te apercebas que foi um periodo marcante (para mal e para bem) da minha vida e que culminou naquele dia em particular, com aquela decisão. Claro que o assinálo, por mim, entenda-se! Só não percebo é onde viste a nostalgia... ora lê lá outra vez.

Gala: Ultrapassadíssimo. Olha que nós também conseguimos surpreender a vida.

Deusa: Qualquer trapinho me fica bem, mas sim, a liberdade acenta-me que num uma luva.

Sopa: Sim, o empenho pessoal(determinação) ajuda muito. Também folgo em saber que também "seguisteS" (tss tss) em frente.

Patrícia: tchin-tchin, à Fénix, à felicidade, ao Sol e a uma estrada sem fim (e a ti também).

Smootha: Fazes favor de não me deixar comentários que me tirem do sério, é que posso estar a ler num local público e passar uma vergonha por isso.

Ave Rara: Não, não sou o Pai, e parte da razão que levou ao dia que assinalei neste post foi precisamente eu não querer ser aquele Pai.

By myself: Eu não temo perder a liberdade quando isso é fruto de abdicar dela num formato reduzido e individual para conquista-la num outro formato muito mais abrangente. Mas como tudo, é preciso 2 para dançar o tango, 2 para esse compromisso, como sabes.

10:01 AM  
Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

Não podia não deixar aqui um sinal de apreço e um abraço beijado para a comadre Alberta. Obrigado.

10:38 AM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit