segunda-feira, setembro 27, 2004

...e o telefone não pára de tocar.

O exército do Dia-a-Dia sofreu uma pesada derrota durante o fim de semana passado e a culpa foi toda do seu General. Apesar de ser um heroi veterano destas andanças, não deixa de ser um bonvivant que se entrega frequentemente a excessos, "tenho que conhecer os meus limites" costuma ele dizer... Mas a verdade é que se deixou cercar pelo seu arquinimigo, o Comandante Al-Cool, lider do exército da Noite-night.

Ao fim de 24 Horas de batalha, sem uma linha de comando presente, o contingente do Dia-a-Dia ficou desorientado por uma subita falta de aprovisionamentos energético e consequentemente a temperatura subiu. A secção de logistica não funcionou, o reabastecimento ficou atrasado e as tropas - exaustas e sem dormir - debandaram confusas em todas as direcções como amotinados a saltarem borda fora de um navio adornado. Apenas alguns Tenentes resistiram, a grande custo.

Pela manhã do 3º dia, o General encontrou-se meio abandonado no campo de batalha... a seu lado jaziam milhares de soldados inanimados. Ao despertar da que que viria a ficar conhecida pela Batalha-do-Vale-do-Lençol-Transpirado, o General imediatamente compreendeu que se não resolvesse a situação, alem de perder a batalha arriscava-se a tambem perder a guerra. A sua experiencia nestas andanças levou-o a pedir ajuda ao seu velho aliado, o Capitão Aspé, lider do exercito Gic1000.

O Capitão Aspé e os soldados Gic1000 rapidamente mergulharam nas aguas razas do rio Torneira-a-Pingar e, com muito esforço, surpreenderam o exercito da Noite-night distraido e forçaram o despertar do Exército do Dia-a-Dia para que este fizesse um contra-ataque matinal.

Agora, com a turbulencia a acalmar e a temperatura a descer, o General congratula-se por conseguir ganhar a guerra, mesmo que vá perdendo algumas batalhas pelo meio.

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit