terça-feira, julho 22, 2008

Alma de Cão

Aqui há uns meses, após um processo longo e penoso de antecipação (que também durava há meses), vi-me confrontado com um novo rumo na minha vida, lembro-me vagamente que me custou um bocadinho, durante uns tempos, acomodar tantas coisas novas que preenchiam de repente a minha vida, e tantas lacunas que ao mesmo tempo se abriam nos meus dias como fossos que pareciam intransponiveis... e incertezas também, enfim, alguma nubeluzidade no olhar. Sobre tudo isso me fartei de escrever e re-escrever neste blog. Essa situação foi um mal necessário e em certa medida (vejo-o agora), até podia ter chegado bastante tempo antes... mas adiante, como sempre disse, "ando triste durante uns tempos e depois passa-me".
...errr, eu sei que isso provavelmente aconteceu, é provavel que tenha andado triste, mas já nem me lembro. Adoro constatar a minha coerência.
Desde essa altura contorbada, meio paralizante pelas lacunas, meio embriagante pelas novidades, arranjei uma espécie de câmara de descompressão para facilitar a transição entre um estado e o outro, uma espécie de presente entre o passado e o futuro, entre o ontem e o amanhã.
Fiz o que entendi ter sido o melhor para mim.
No decorrer desse processo, afastadas as energias negativas, vi-me novamente bafejado pela sorte, ou talvez não tenha sido uma questão de sorte, vi-me de novo mestre das minhas faculdades, dono da minha auto-determinação, senhor do meu destino! Portas novas que se abriram, novos caminhos, gente bonita, objectivos novos, reais, sem cor-de-rosisses, sem amorzinho juvenil e sem cabanas de palha na areia suja de crude... Népia.
Objectivos reais que sempre cá estiveram, bem protegidos!
Assim, hoje tomei uma decisão que já devia ter tomado há mais tempo, tomei-a da forma como gosto de tomar decisões, assim de repente para quem está a ver, o que para quem comprou bilhetes mais baratos quer dizer que a decisão foi tomada após muito ponderar.
Sem desvendar mais da cortina, queria só manifestar que tomei uma decisão importante para mim, e que já a estou a colocar em prática!

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit