quarta-feira, junho 25, 2008

Um metro-de-superficie chamado desejo

Surge do nada, de um complexo sistema de ruas e vielas que as obras do metro de superficie ainda mais vêm complicar... surge no vão, no precipicio, na vista para Lisboa. Um miradouro oposto à Cidade, um local novo e uma pizza chamada "Pôr do Sol". Conversa fluida, genuina, intensa e uma garrafa de Hermelinda Freitas que não se bebe até ao fim, que se deixa na mesa, aroma no ar, para mais tarde saborear. Como se pode agradecer por um momento assim...?
...e porquê ter que agradecer, quando o que mais sentido faz e é bastante, sim, concordo, é simplesmente dizer que se gostou, do local, da refeição, da conversa, da companhia...
...do momento.
Cara ou coroa? Pizza ou Sushi? Miradouro ou Rua dos Pescadores? Almada ou Caparica?
Nem cara nem coroa, desta vez pizza à beira Rio, para a próxima Sushi à beira Mar.

2 passageiros clandestinos:

Anonymous cat chamou a hospedeira e disse:

substitui-se o agradecimento pela demonstração inequivoca do prazer dos sentidos. a vista sobre a capital, o sabor do vinho, o arôma da pizza, o som da conversa indirecta, o tacto de um sms arrojado.

11:09 AM  
Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

Muito tacto, de facto ;-)

6:51 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit