terça-feira, outubro 31, 2006

Ai, não me copies que me desafinas (parte 2)

O comentário que virou Post.

Notarás seguramente que a blogsfera é uma zona cinzenta da legislação pelo que o que escreveres no teu blog não está automaticamente abrangido por copyright, a não ser que recorras a registo na SPA (fazes isso?), e mesmo assim não é garantido.

Mais, imaginarás que não me compete a mim educar as pessoas, mas gratuitamente te dou a dica que no meu caso eu defendo as coisas que são importantes para mim, tudo o resto está ao teu dispor. Nitidamente o “umbiguismo” do teu blog é importante para ti, mas se o tens exposto na internet e não o defendes de que estás à espera? Do delirio da ética dos outros?

Arranja estaléca para publicar um livro que vais ver que já não te copiam (tão fácilmente) como se faz na blogsfera. De outra forma expões-te a que te copiem o “trabalho”, e não tem nada a ver com ética, tem a ver com oportunismo, e isso, se para uns é defeito, outros há que o consideram virtude. Caberá à formação de cada um interpretar o melhor que souber, por isso quem és tu para falares de ética? De que buraco saiste tu para questionares os meus valores? Eu não conhecia o teu blog mas não vejo que impérem por aqui grandes valores éticos como estás a tentar professar de forma satirica e lúdica no Post que estamos a comentar. (Terei oportunidade de ler mais alguns posts). O teu discurso passou de muito inteligente, no Post, para muito banal nos comentários. É que a febre dos blogs já passou, hoje qualquer gato pingado de vão de escada ou qualquer dona de casa tem blogs, lê blogs, e escreve o que bem lhe passa na real gana nos seus blogs... e isto acontece alimentado por milhares de bloggers que perderam o primeiro comboio e andam agora a sirandar de blog em blog como se estivessem no videoclube à procura de citações das suas estrelas de rock & roll.

Marco, acho que estás a ladrar à àrvore errada. Estás-me a falar de trabalho e de blogs no mesmo contexto e isso deixa-me perplexo, mas eu quero perceber isto:
-Tu “trabalhas” num blog??!
-Duas horas a “trabalhar” num post??!
É de loucos! O que é que um gajo como eu te pode dizer? Tu é que sabes o que fazes da tua vida meu. Mas dou-te mais uma dica: Quando arranjares um emprego “à séria” vais ver que deixas logo de ter tempo para essas frescuras.

Isto dito, espero que tenhas jogo de cintura suficiente para encaixares o que te estou a dizer sem enveredares por outra evacuação verbal descabida e assimiles sim que, isto dito, eu compreendo-te Marco, e concordo contigo, é de facto inglório e pouco gratificante termos uma pérola genuinamente nossa, que esgalhamos do fundo da alma, que a criamos e nos orgulhamos dela, para depois vir alguém com um par de “snips”, chegar, pegar, levar, e chamar-lhe seu. Compreendo a tua indignação, eu próprio encontro frequentemente passagens de coisas que escrevi, noutros blogs. É irritante tanto quanto é inóquo, mas seguramente não encontrarás passagens de Relatórios ou Pareceres elaborados por mim em lado nenhum... é que esses não levam duas horas, levam 2 mêses, e eu não preciso de ter anúncios, basta-me assinar por baixo.

Mas mais uma vez te dou a dica de que o “copianço” na internet está para ficar, e por muito barulho que faças contra isso, estás a remar contra a maré.

Eu por mim deixava isto assim.

ADENDA: Bom, e este foi o comentário do moço, não seria legítimo (ler ético) emisquir-me de o acrescentar aqui.

Bem, fazes aí um julgamento sumário da minha vida que é quase uma obra de ficção! Quando eu arranjar um emprego à séria vou deixar-me destas frescuras? LOL.

De qualquer maneira, emprego e trabalho são coisas distintas para mim. Faz sentido «trabalhar» duas horas num post sem que isso seja um emprego. Trabalhar com o objectivo de concretizar qualquer coisa pessoal. Isto é tão válido para os meus posts como para os teus Relatórios e Pareceres.

Mas não, espera, isto tudo para ti é «frescura», é coisa de loucos. Porque se trata de um blogue. Escrito por um dos palhaços dos blogues, como dizes tu no comentário anterior.
Não vale a pena. Numa coisa tens razão: estou mesmo a ladrar à árvore errada. Portanto fica na tua que eu fico na minha.

Mas convido-te a conhecer melhor o blogue, tenho muito prazer em que o faças.

Comment by Marco Santos 10.31.06 @ Ter 3:08 pm

2 passageiros clandestinos:

Blogger adesenhar chamou a hospedeira e disse:

nem sei o que comentar aqui depois de ler o teu post.
apenas dizer que assino por baixo
e talvez deixar uma dica a quem interessar sobre o conceito da "WWW" ... "Dar e receber".
Como vem a propósito,
aconselho a leitura de um livro que me fascinou durante as férias que é " Geração Blogue" de Giuseppe.

deixo aqui a ficha do livro,
Granieri.http://www.editpresenca.pt/catalogo_ficha_livro.asp?livro=3985
:-)

abraço

3:42 PM  
Anonymous Anônimo chamou a hospedeira e disse:

Muito bem respondido... O tipo gostava era de ter "anúncios" lá na chafarica dele ;-)

5:14 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit