sábado, abril 28, 2012

Onde a estrada me levar

O Sol espanta as nuvens que se afastam do Sol, assim, numa dança sem fim, no céu que se estende no horizonte, bandeira no alto de um monte. A estrada chama por mim, sinto que sim, uma mota preta e cromada, cavalo alado na estrada, asas de desejo inspirado, no peito entalado, ensejo que a estrada liberta assim, com o vento na cara. Estrada que chama por mim, do princípio até ao fim.

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit