quinta-feira, março 05, 2009

Um dia s(em) sentido (contrário)

Saí já atrasado, de almoço no bucho e café no pensamento que a estrada não espera e o vento ainda podia trazer chuva. Fui de mota, andar atrasado dá nisto. Na Av. de Roma a reunião correu bem e a indumentária motard passou despercebida… Adivinhasse eu alguma vez que teria esta idade e que poderia (tentar) fazer negócios vestido de cabedal e nunca teria comprado tantos fatos de 3 peças que há mais de 2 mêses acumulam môfo no armário. Mas nem tudo foram rosas. Em moscavide perdi-me, eram 18:30h e ainda não tinha dado com o local onde era suposto estar 1 hora antes, e naturalmente começou a choviscar, felizmente foi só ameaço. Adiei Moscavide para outro dia, de qualquer forma o interesse não é inteiramente meu… Da Gare do Oriente ainda fui ao Poço do Bispo, mas sem avisar arrisco-me sempre a bater com o nariz na porta. Azarito. Resolvi voltar para casa, e não sei porque carga de água vim pela CRIL e pelo tunel do Grilo, mas enganei-me e fui sair a Loures. Voltei para trás outra vez, e enganei-me outra vez… e entrei na Ponte Vasco da Gama!
-#%@&$#%&@$#!
Gosto muito de fazer incursões ao outro lado do Tejo, mas hoje por caso precisava de estar no Estoril à hora do jantar… Adiante, passei a portagem e segui a tabuleta que dizia “Lisboa pela Ponte 25 de Abril”, cometi algumas imprudências e excessos de velocidade, e em menos de 30 minutos já estava em Almada. Eram 20:30h quando me perdi na pouca força de vontade de cuspir para o ar, e rendi-me à incompreenção do que não consigo explicar, mais do que aceitar, e fui beber uma imperial e comer um daqueles pães com chouriço que tanto bem me fazem à alma. Afastei a ideia da presunção da cabeça e dei o benefício da dúvida à dúvida que me corroi por dentro cada vez que por ali passo… Soube bem ser bem recebido, é recorrente, ironicamente recorrente. Garanti os meus 2 dêdos de conversa que era isso que eu queria. Depois, atravessei a Ponte 25 de Abril em direcção a Lisboa como se o vento estivesse a favor, o que sem a ter atravessado à ida fez com que me sentisse meio perdido. Saí para Alcântara e fiz a marginal à tal velocidade, a velocidade que as curvas da marginal convidam, velocidade intensa, curvas intensas, vento na cara e maresia no ar. Parei em carcavelos para beber um meio no Windsurf café, porque tal como a Ponte e o Rio, o Mar também chama por mim. Ao chegar a casa continuei a sentir-me meio perdido, num dia sem sentido, e a luzinha intermitente do fixo trouxe-me um convite no voice mail. Calha bem, apetece-me ir beber um copo, e cada vez mais me convenço que o estado civil de uma mulher é apenas mais um acessório sem sentido. Vou fazer de conta que amanhã não é dia de escola, e que hoje foi dia de férias, porque perdi a manhã a procurar uma tarde perdida só para me encontrar perdido na noite. Volto amanhã.

6 passageiros clandestinos:

Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

Adenda: Ao chegar a esta hora a casa, meio zorgue, molhado e cansado, constato que a madrugada também é boa conselheira, e que gradualmente re-descubro em mim valores com os quais me sinto bem em identificar. Vim-me embora, já começa a ser hábito...
...de qualquer forma não gosto de "coisas" simples demais.

5:20 AM  
Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

Não pude deixar de sorrir ao ler ;)
És mesmo assim: um mundo.
Beijo

1:15 PM  
Anonymous Leitor ocasional chamou a hospedeira e disse:

Fizeste a escolha que tinhas que fazer. Bom fim de semana

4:21 PM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

Perdes-te em Lisboa como eu que estou no Porto. Quando dou por mim estou a atravessar uma das pontes (recorrente).

Os teus relatos conseguem passar de factos banais a literatura.

Sempre um prazer ler-te.

Beijinhos

6:21 PM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

Esqueci-me de te lembrar que o estado civil, é cada vez mais um acessório, e não é só para as mulheres.
(nem sei se discordo disto...vou pensar melhor)

Beijinhos

6:23 PM  
Anonymous Deusa chamou a hospedeira e disse:

Fartei-me de rir com essas voltas todas, também já me aconteceu.
Essa "ponte" para o outro lado do rio inspira-te mesmo!
Conselho: Se continuas assim a evitar solteiras e divorciadas, qualquer dia só te servem as viuvas e as casadas.

11:43 AM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit