sexta-feira, abril 01, 2005

Armageddon

Ao ligar a TV esta manhã enquanto não fazia a barba nem tomava banho por preguiça não pude deixar de constatar que o mundo está em stand by à espera que o Papa morra... Nunca antes se viu uma antecipação da morte à escala global, um acompanhamento oficial da morte a que o mundo assiste, de gatas.


João Paulo II "foi" um bom Papa, obrigado João Paulo.


A letra integral da música que aqui transcrevo já a postei antes, hoje faz todo o sentido.

"The The" - excerto retirado do album Mind Bomb de 1989, da faixa 3:

"Armageddon days are here (again)"

(...)
Islam is rising
The Christians mobilising
The world is on its elbows and knees
It's forgotten the message and worships the creeds

It's war, she cried, It's war, she cried, this is war
Drop your possessions, all you simple folk
You will fight them on the beaches in your underclothes
You will thank the good lord for raising the union jack
You'll watch the ships out of harbour
and the bodies come floating back

If the real Jesus Christ were to stand up today
He'd be gunned down cold by the C.I.A.
Oh, the lights that now burn brightest behind stained glass
Will cast the darkest shadows upon the human heart
But God didn't build himself that throne
God doesn't live in Israel or Rome
God belong to the yankee dollar
God doesn't plant the bombs for Hezbollah
God doesn't even go to church
And God won't send us down to Allah to burn
No, God will remind us what we already know
That the human race is about to reap what it's sown

The world is on its elbows and knees
It's forgotten the message and worships the creeds
Armageddon days are here again
(...)


...e o mundo assiste, impávido e sereno.

3 passageiros clandestinos:

Anonymous G. chamou a hospedeira e disse:

Permite-me discordar contigo.
Há bem pouco tempo aconteceu precisamente o mesmo com o Yasser Arafat. A sua morte chegou a ser anunciada antes mesmo de acontecer. E, se bem me recordo, todo o mundo estava suspenso, todo o mundo aguardava a sua morte.
E já que comecei a discordar, vou manter o tom. Não posso considerar «bom» um Papa que, em pleno continente africano, onde, todos os dias um sem número de pessoas é infectado com o vírus da SIDA, reafirmou a convicção da Igreja Católica Apostólica Romana em condenar o uso do preservativo nas relações sexuais. Apenas um exemplo, dos muitos que poderia dar para não considerar Karol Wojtyla um bom Papa.
Uma opinião, a minha...

11:32 AM  
Anonymous Invisible chamou a hospedeira e disse:

Efectivamente, a situação com o Arafat também foi morte em directo.
Contudo, neste caso do JP eu estava a querer fazer alusão a uma dimensão mais alargada, não num contexto geo-politico (conflito na palestina) mas sim numa dimensão de religião, religiões!

Aproveito para corrigir que me enganei nas aspas e coloquei-as no "foi" em vez de colocar no "bom", o que não deixou passar o meu tom ironico.
Isto dito, o Papa dá/deu a cara pela Igraja católica, os seus propósitos enquanto individuo têm um peso enorme (responsabilidade) porque acabam por espelhar a posição da IC. Assim, os propósitos do JP sobre preservativos, aborto, eutanasia, pedofilia etc... que ele tem seriam (serão seguramente) os mesmos que outro Papa qualquer teria tido (terá, seguramente), desta forma espelhando a posição da IC:
A intensão não é crucificar o Papa (gajo porreiro que até devolveu o Icon principal da Igreja ortodoxa que a Igreja Catolica Portuguesa tinha sonegado há anos à Igreja Ortodoxa Russa) mas sim expor as inutilidades e contradições da IC romana).
Mas obrigado pelo teu comentário, foi bastante incisivo.

11:50 AM  
Anonymous G. chamou a hospedeira e disse:

Nesse caso, estamos praticamente de acordo.

12:09 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit