sexta-feira, dezembro 17, 2004

O Homem Invisível

O mundo ficou louco

E eu perdi o toque

Não devia admiti-lo

Mas perdi.

Tudo deslizou enquanto eu estava distraído

Mas eu não mudei

Eu juro que não mudei.

Como é que isto aconteceu?

Eu não me senti evaporar...



O meu corpo foi-se

Mas os olhos ficaram

A pairar

A testemunhar

Frio como um fantasma

A velar pelas ruas

Protegido nas ombreiras

De Veneza, Viena,

Budapeste, Cracóvia, e de Amesterdão



Eu transformei-me no Homem Invisível.



O batimento de coração invisível

O pulso invisível

A bater silenciosamente.



Grito o meu nome

Nos lugares públicos

Ninguém parece notar

Ninguém compreende

Eu mantenho-me imóvel

No meio da rua

Aguento os nervos...

Aguento os nervos...

Aguento os nervos...

Mas os carros não me evitam



Ouço as tuas orações

Que sussurras sozinha

Sou aquele que sentiste perto

Perto de ti em S. Estêvão

Acendeste uma vela

Uma Bênção no ar frio da noite



Sinto a tua respiração

Ao virares-te para sair

E observo-te a partir

De um lugar elevado

E cruzas o parque

Na luz do Outono

Na luz do Outono

Na luz do Outono



Se eu fechar os olhos

Consigo ver onde moras

Sobes as escadas de caracol

Para o teu apartamento

Sinto o cheiro de preparares

O jantar para ele

Fico horrorizado de o ver

A ser cruel para ti

Em silêncio tenebroso

Enquanto fazem amor

Eu não posso levantar

Não posso levantar a mão e fazê-lo parar

Levantar a mão e fazê-lo parar

Eu não existo

Que posso fazer?

O que posso eu fazer?



Gritarei ao teu ouvido

Quando fores a passar

Porei os meus braços à tua volta

Mas não me vais ouvir

Não me vais sentir

Vou caminhar ao teu lado

Vou tentar ajudar

Quando tropeçares

Vais passar através de mim



Eu tornei-me no Homem Invisível

É tudo o que sou

Invisível



Eu já li as tuas cartas

Conheço o teu conteúdo

Já sonhei os teus sonhos…

A minha mente

A minha mente está assombrada

A minha mente está assombrada

Voltarei a gritar

“Eu sou perfeitamente são”

“Eu sou perfeitamente são”

Mas eu sou

O Homem Invisível

Eu sou

O Homem Invisível



Fala comigo

Reconhece-me

Confia-te a mim

Confessa-te a mim

Ou então deixa-me estar

Deixa-me estar…

.

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit