quinta-feira, maio 19, 2011

Toco-te e respiras

Lá ao fundo, por trás dos prédios do outro lado da cidade, para lá da serra e das nuvens, no céu, a aurora desperta-me da insónia mal dormida e faz-me levantar do frio da cama para vir autómato à janela, e o novo dia que se anuncia para lá do horizonte é igual a mim próprio, indiferente à tempestade...

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit