segunda-feira, agosto 03, 2009

Rocinante

Ocorre-me que se a t-shirt com que andei vestido o dia todo falasse mandava-me era andar rôto ou mesmo nu em vez de a ter vestido hoje, mesmo assim, foi a primeira a sair do topo do monte de t-shirts dobradas hoje de manhã… tenho as minhas blusas organizadas por cores, por estampados, por tipo de manga e até por marca, e consigo fazer isso em apenas 2 montes de blusas dobradas numa mesma prateleira do meu enorme roupeiro. “Tá-se bem no Alentejo”. É o que se lê estampado nas costas desta t-shirt branca, tenho-a desde há uns Verões atrás, é apenas a 2ª vez que a visto mas nem sei porque raio não a deitei fora, e só eu sei porquê. Ocorre-me aquela expressão anedótica de que os portugueses até as cuecas velhas aproveitam para lavar o carro… e esta t-shirt, que está nova, serve hoje para poder ter o corpo besuntado com um creme qualquer sem ter que estragar uma das minhas t-shirts preferidas. Ocorre-me também que não tenho nem cuecas velhas nem tenho nenhum carro que mereça ser lavado à mão, ocorre-me isto, ocorre-me aquilo, ocorre o que preferia que deixasse de ocorrer, de uma vez por todas, que pensei que não voltasse a ocorrer… Mas não… isso é que era doce! Hoje o cabrão do dia deve ter acordado em pontas arrebitadas e resolveu vir marrar comigo, do tipo, toma lá um embrulho daqueles que não pediste que é para ver se continuas de joelhos mais uns tempos que ninguém te mandou andar com a cabeça erguida em Agosto. Bom, naturalmente mandei foder o dia com toda a deferência que o mesmo merece, que é o mesmo que dizer que, por um lado não gosto de ter que me repetir e por outro já não tenho disponibilidade para deixar destabilizar as minhas prioridades ou atropelar os valores em que acredito para ter que acomodar trapalhadas alheias! Já tive a minha dose de presentes envenenados ao longo da vida para saber que não quero construir mais nenhum castelo de cartas. Mandei foder o dia e adiei o assunto, senti os sistemas de alerta todos inflamados e debati-me como pude contra a vontade de fumar 3 ou 4 cigarros em cadeia…. Foda-se, caralho, só me apetece dizer asneiras, e não me fodam a marmita por causa disso que dizer asneiras até é bastante pacífico. De qualquer forma consegui não fumar, e não devo absolutamente nada a ninguém pelo meu esforço, mas andei inquieto o resto do dia e isso irrita-me profundamente. Na realidade a porcaria da t-shirt trouxe-me algumas memórias de que já não me lembrava, momentos perdidos e esquecidos e memórias mais que recalcadas. Amaldiçoei umas e desejei outras e encontrei-me inquieto demais para o meu gosto, mas continuo sem me arrepender de nada do que fiz, embora por vezes ainda sinta que estou a pagar caro por isso. É esse acumular de experiência que me faz agora querer manter-me à distância de lutas Quixoteanas, porque entre combater um moinho de vento ou falar para uma parede, prefiro mesmo é dar às esporas e chamar Rocinante à Virago, e bola para a frente. Estes pensamentos fizeram-me passar o resto do dia com um sabor amargo na boca e com uma conversa amarga tatuada na alma, é no que dá mandar foder o dia logo pela manhã!

1 passageiros clandestinos:

Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

Bem me quis parecer que o dia não corria de feição...
Ocorre-me (assim por mero acaso...) lembrar-te que ando por aqui, e não apenas para os momentos bons.
Mas não precisava de dizer isto, pois não?
Beijo grande

11:25 AM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit