domingo, abril 12, 2009

De Sábado a Domingo

A Páscoa tem coisas engraçadas… No Sábado à tarde, enquanto passeava o cão, caminhava calmamente no jardim à frente de casa, pensava no meu Padrinho, de quem já falei uma vez neste Post do blog antigo, e que às vezes me dá vontade de arrancar de mota pelo Alentejo fora e ir ao encontro dele, porque não o vejo vai para 3 anos... Mas adiante. Passeava o cão e poderia ter sido apenas mais um passeio, com o cão pela trela e um saquinho de plástico no bolso, mas não, porque de repente, do nada, por entre as minhas deambulações, um grito a dizer "-Cuidado!" fez-me virar para trás, mas só fui a tempo de levar em cheio com uma bicicleta cor-de-rosa que veio esbarrar comigo, e que me deitou ao chão. A mim, ao cão, à miúda da bicicleta e ao estafado Pai da miúda que eu já tinha visto minutos antes às voltas a correr atrás da bicicleta, com a mão nas costas da miúda e com os bofes de fora mas a encoraja-la sem descanso, com a voz ofegante e os passos pesados.
Com tantas árvores por perto só pode mesmo ter sido o coelhinho da Páscoa que os encaminhou para virem esbarrar contra mim.
As mil desculpas que o homem me pediu quase caíram em saco rôto; No imediato não achei muita graça e saiu-me da boca um combinado de bordoadas em género de desabafo. É que para me terem derrubado a pancada não foi leve. Imagine-se, eu, estatelado no chão, com o cão pela trela, à frente de casa… Só visto.
Felizmente ninguém se magoou, o cão não mordeu ninguém e a bicicleta não se estragou... Pensei que a miúda (não, não foi a menina da foto), com os seus 6 anos no máximo, que desatasse a chorar, mas os olhos dela, brilhantes, ignoraram a situação como se de um mero acidente de percurso se tratasse, e num instante montou na bicicleta mais rápido do que eu e o Pai dela nos levantamos do chão, e estava pronta para que o Pai a continuasse a empurrar, que já estava quase, que já tinha andado um bocadinho sozinha, e que conseguia, e chamava pelo Pai, "anda Pai, só mais uma voltinha..."
Aceitei as insistidas desculpas do senhor, levantei-me e afastei-me para uma zona mais segura enquanto eles lá prosseguiram, ela a pedalar desengonçada e ele a correr atrás dela sem a largar… Voltei a casa, troquei de cão (é mais fácil passear um de cada vez), voltei à rua, fui à praia, e voltei para casa outra vez…
Da janela aberta ouvia ainda os esporadicos incentivos daquele Pai a ensinar à filha a andar de bicicleta. Provavelmente vou ficar com o joelho dorido por causa daquele atropelo…
Foi mais forte do que eu, descalcei as botas, calcei uns nike pretos que comprei no Verão passado mas que ainda não tinha estreado, agarrei nas chaves e desci as escadas 4 a 4. Dirigi-me ao jardim, aproximei-me deles e sugeri ao Pai se me deixava tentar ensinar a miúda, ele disse que sim a sorrir e agradeceu (penso que me agradeceu do fundo dos pulmões). Tomei o lugar do Pai atrás da bicicleta e dirigi-me à miúda, que por sinal não se incomodou nada com a minha presença e já estava pronta para começar a pedalar outra vez.
Chamas-te Filomena não é? Eu chamo-me Francisco. Olha, não te vou agarrar nas costas como o teu Pai, vou agarrar no banco da bicicleta OK? Mas estou a segurar! …e tu não vais olhar mais nem para os pedais nem para o volante, vais é olhar para a frente, sempre a olhar para a frente e nunca para o chão, está bem? Não tenhas medo que eu não te largo… Ah, e estas coisas aqui são os travões, se fores a cair ou se fores chocar com alguém carregas nos dois ao mesmo tempo e pões os pés no chão, ok? Estás pronta? Um… Dois… Três!
Dei uma primeira volta ao jardim a segurar na bicicleta, a segunda volta quase sem lhe tocar e a terceira apenas a acompanha-la, depois parei e ela continuou.
O Pai ficou mais entusiasmado com a filha a andar de bicicleta do que a própria miúda. Tirou-lhe 300 fotografias, conversámos um bocadinho e cada um contou a sua história de como aprendeu a andar de bicicleta (a minha já a contei aqui), depois agradeceu-me mais uma vez, despedi-me da Filomena e voltei para casa.
Missão cumprida, descalcei os nike e tentei lembrar-me dos miúdos todos que já ensinei a andar de bicicleta… já perdi a conta, mas foram muitos. O resto do dia foi tranquilo, em antecipação do Domingo de Páscoa…
Levantei-me cedo, às 9:30h já estava a aquecer o motor da Virago e a comer um croissant com queijo na PaniSol enquanto o Bruno e a Nádia não chegavam na BMW que o Bruno trouxe de Inglaterra… No entreatanto apareceu o Papu, que tem uma Hornet 600 e que também ía à missa ao Cabo da Roca. Fomos pelo Guincho, há bastante tempo que não andava de mota por aqueles lados… O céu ameaçou chover mas depois arrependeu-se, no Cabo da Roca encontrei o Ave Rara com a sua FJR 1300 e foi muito fixe falar com ele, geralmente depois de falar com outros motards apetece-me sempre comprar outra mota, mas depois monto-me na Virago 535 e passa-me logo… De tarde dei uso ao Elefante Azul de Oeiras (já não lavava a mota desde Julho passado), e apercebi-me tenho que fazer qualquer coisa aos cromados que estão a começar a ficar picados… Depois segui em direcção a Lisboa e atrevessei a Ponte, fui tomar um café ao “Amanhecer do Parque”, perto do Parque da Paz, em Almada, para variar de só lá ir quando estou a regressar de algum lado, depois fui à Caparica. O paredão em frente à Praia estava apinhado de domingueiros, e se contar que fui atropelado por uma trotinete cor-de-rosa, alguém acredita? Não pude deixar de me rir…
Da Caparica fui até à Fonte da Telha, depois Sesimbra, depois Seixal (porque me perdi), hesitei em dar um salto até ao Montijo, mas já se estava a acabar o dia e apesar de ter levado o meu blusão de Inverno não me apeteceu apanhar briol por deixar cair a noite… Re-encontrei o caminho em Fernão Ferro, depois Almada só de passagem, atravessei a ponte outra vez e deslizei nas curvas da Marginal tranquilamente a 70 Km/h.
Cheguei a casa e telefonei para o meu Afilhado David (que também é meu sobrinho), que mora em Paris, tem 21 anos, anda de Skate e faz surf melhor que eu... Depois liguei para a minha Afilhada Diane, que mora em Bordéus, tem 2 anos e é filha de um casal que é dos meus melhores amigos, o Yann e a Sandra. Não sei como é que fui arranjar a ser Padrinho de 2 afilhados e ambos moram em França... Foi assim minha Páscoa.
De certeza que para o ano que vem me vou lembrar da Páscoa deste ano.

11 passageiros clandestinos:

Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

Grande passeio. Dia em grande! Era disso também que eu falava.

12:20 AM  
Anonymous Anônimo chamou a hospedeira e disse:

tens um ritmo cativante na escrita, as tuas "histórias" são muito sumarentas...parece que estamos ali ao teu lado a obsevar aquele(s) momento(s).
Parabéns pelo teu blog!
Fantástico! Continua!

7:49 AM  
Blogger Avis Rarum chamou a hospedeira e disse:

E queres que te diga o bom que foi rever a 535 a rolar pelas curvas...
Já lá vão 9 que pela primeira vez conduzi a minha... e faz 7 que não ando numa...

1:37 PM  
Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

Smootha: Passear é um previlégio que me permito, e por muito que o (d)escreva não consigo explicar o bem que me sabe!

Anónimo/a: Obrigado pela visíta e pelo comentário.
Histórias sumarentas... Ainda bem que não as conto todas ;-)

Ave Rara: Para a próxima deixo-te dar uma voltinha.

5:44 PM  
Blogger Moonlight chamou a hospedeira e disse:

Foi muito giro ler-te!
O cor-de-rosa parece que te presegue...loool
Pro ano concerteza que te vais rir um pouco.
Voltinha de mota,hummmmmmmmmmmmm...cabo da roca,guincho............é do melhor!!!
Bjs com luar

6:46 PM  
Blogger amor de uma mae chamou a hospedeira e disse:

essa técnica de segurar no banco e não nas costa não falha
eles as vezes pensam que ainda estamos a segurar no banco
mas já estão é andar sozinhos

12:54 PM  
Blogger XS chamou a hospedeira e disse:

A Laura estava a precisar de um professor assim, antes que eu fique corcunda...

8:02 PM  
Blogger João Cal chamou a hospedeira e disse:

Posso anunciar com todo o prazer que EU fui um dos muitos que TU ensinaste a andar de bicileta, exactamente do jeito que descreves ha já uns bons 25 anos atras... Obrigado e continua! Abraço do teu sobrinho desde o Chile. JC

4:22 AM  
Blogger Avis Rarum chamou a hospedeira e disse:

Chile... esse belo país...
Depois do Cabo de Hornos nunca mais fui o mesmo...
;)

8:55 AM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

Eu sempre achei que a Páscoa e as prendas dos padrinhos eram uma grande tanga!
Se não fossem esses dois factores, essa bicicleta não te tinha atropelado...

Bjs

3:11 AM  
Blogger maria-joão chamou a hospedeira e disse:

Não sei se há neste post alguma intenção anedotica mas... as minha desculpas se não há. Eu achei divertido! (ih ih)

11:09 AM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit