sexta-feira, outubro 03, 2008

Vontade de rir

…voltas e mais voltas. As voltas que isto dá. Dá vontade de rir, e com o riso de cada dia que passa, até me passo!
Perguntam-me porque me rio… Hahahha… porque quem ri por últmo ri melhor, e eu rio-me alto como quem cospe para o ar.
Prefiro a frontalidade, sou a frontalidade, sem meio termo, sem meias palavras nem agendas escondidas. Se tiver que cuspir cuspo de frente, de preferência com escárnio para que não passe a ideia errada de uma cuspidela acidental ou motivada por circunstâncias ocasionais. Cuspo direto e farto-me de rir mas só mostro um leve sorrir.
As emoções, anteriormente contorbadas e depois desviadas, divididas, substituidas, e quase adoptadas, curadas e renascidas. As emoções, essas gajas, foram simplesmente arrancadas, sem explicação plausivel, à beira rio, uma amôna e ficou o assunto resolvido. Duas vezes, à beira rio, o mesmo rio, foda-se, duas vezes! Como é que a mesma merda acontece ao mesmo gajo duas vezes? Mas bola para a frente, que se foda a taça e venha a proxima. Aceito sem compreender e mando tudo foder, não tenho nada a perder.
Rio-me, parto-me todo, ò p’ra mim: -Hahahaha...
Sobra-me o Mar e o Rio, tingidos de vermelho-sangue e do azul do céu, ora limpo ora encoberto, deste lado ou no deserto. Valores mais altos se levantam, valores tão altos como a ponte, como o cheiro de mil odores que se fundem em mil cores e bonitas raparigas, tatuadas nas barrigas, desfeitas em sorrisos e superficialidades banais, conversas da treta, triviais e outras que tais. Porque me rio eu? Pela indifirença que vence enfim, pelo desinteresse na vidinha de merda dos que me rodeiam. Qual era a frase mesmo?
-Puta que os pariu!
Eu acreditei em mim, fui paciênte, resistente e coerênte, sempre em frente, contra ventos e marés, firme, rijo como o aço, nunca desisti! Palavra d’ouro, lágrimas de sal e força sobrenatural.
Foram 3 anos que agora não são nada, como uma noite mal passada, e uma noite não é nada, é uma trepa mal dada. Usem e abusem de mim que eu deixo, e até gosto, faz-me sentir vivo e imune e capaz de morrer (tantas vezes me mataram…), enfim, capacidade de renascer. É tudo ou nada, p'ó caralho!
Bastaram-me 3 mêses aqui, na minha terra, em casa, para provar que perdi 3 anos noutro lugar. Não precisei de mendigar porque simplesmente me vieram buscar. Quanto queres receber? Quando podes começar?
Èpa, começo p´rá semana que hoje só me dá vontade de rir.
Porque me rio eu? Porque quero mais é que se fodam!

2 passageiros clandestinos:

Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

Gosto dessa fluidez de palavras...
Fazes bem, manda tudo pro espaço, mesmo que te chamem louco ou egoísta.
*

7:10 PM  
Anonymous Olhares chamou a hospedeira e disse:

já li muito nesta blogosfera... mas nada comparado com este teu cantinho!
sabes, quem quer mandar tudo e todos foder e parte-se a rir sozinho, não tem necessidade de dizê-lo... a satisfação do momento é maior que a vontade em correr contar a toda a gente! essa tua desilusão amorosa deve ter sido mesmo grande... é que volta sim, volta sim, lá estás tu a falar do mesmo, sempre com a mesma rectorica! já toda a gente sabe que seguiste em frente, quantos mais posts vais ter que escrever até acreditares nas tuas próprias palavras?

2:38 AM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit