domingo, outubro 12, 2008

.MENSAGEM.RECEBIDA.STOP.

Aqui há uns dias contactei alguém que não sei muito bem se está disponivel ou receptivo para ser contactado, pelo menos por mim. Mas mesmo assim, nessa incerteza, a vontade foi proporcional à necessidade, e porque tudo o que se faz na vida, mais do que por vontade ou desejo, faz-se essecialmente por necessidade, materializei o contacto.
O processo de decisão de envio da mensagem foi naturalmente instantaneo e quase automatico, mas o formato pelo qual iria fazer chegar a minha mensagem ao destinatário foi algo que mereceu alguma reflexão: Telefone, email, sms ou postal…? Todos os formatos são eficazes, mas qual será o mais eficiente?
Com esta ponderação na cabeça escolhi um formato que não fosse imperativamente interactivo mas que pelo menos pudesse suscitar no destinatário uma atenção particular à mensagem. Optei por enviar um telegrama.
O resultado foi exactamente o que eu tinha previsto (ler: desejado), e no dia seguinte obtive uma resposta – voluntária – à minha mensagem.
Essa resposta do meu interlocutor à minha mensagem produziu uma resposta da minha parte e isso colocou a interacção num patamar ligeiramente mais avançado do que uma simples acção-reacção; e por um breve momento que tenha sido, a interacção passou para o delicioso nível do diálogo!
Costumo dizer que o conteúdo de uma mensagem é mais importante que o seu formato. Mantenho esse paradigma, mas, ou não fosse eu marketeer, tenho que me render à evidência que o formato de uma mensagem pode ser uma boa ferramenta para potenciar o seu conteúdo. A minha necessidade não era outra do que manter aberto o diálogo.
Se eu olhar para isto de um ponto de vista crítico e exterior, posso interpretar a minha diligência como tendo sido uma espécie de manipulação… Talvez, mas num mundo onde toda gente regorgita opiniões e juizos uns atrás dos outros sobre tudo e todos e mais alguma coisa, quem sou eu para me julgar a mim próprio?

1 passageiros clandestinos:

Blogger Ariane Rodrigues chamou a hospedeira e disse:

Interessante post! Quando se trata da mensagem é sempre bom avaliar sim o suporte e receber um telegrama é raro e delicioso. Certamente, faz toda a diferença! A propósito da questão da manipulação, por que não usar as mãos para fazer uma boa ação a si mesmos e aos outros? Abraços de asas!

6:03 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit