terça-feira, agosto 12, 2008

Ficou por dizer...

Ontem não te disse que tinha saudades tuas, que todo eu tremia por dentro enquanto o elevador não chegava ao teu andar e que instantaneamente me acalmei quando te vi, que gostei de te ver ao fim de tantos dias com vontade e sem poder.
Ontem conversamos muito, horas, mas não te disse 30 coisas para não te interromper e esqueci-me de outras 30 que tinha para dizer. Ontem não consegui verbalizar o quanto gosto de ler as tuas expressões faciais, mas li-te como um livro que se escreve a cada página que se vira, como um poema onde o verso suspira e anseia pela musicalidade da rima seguinte. Não te soube dizer, mais do que apreciar, que tens um olhar penetrante e intenso, brilhante e atento, cativante... e que a tua boca se molda em 1000 contornos a cada palavra que dizes, e dizer-te isso na altura seria interromper o que estavas a dizer, e muitas vezes te iria interromper se a cada piscar dos teus olhos o tivesse que fazer.
Ontem provavelmente não te disse o que gostarias de ouvir, não sei, mas ouvi-te como acho que gostas que te ouça, porque eu só sei ouvir assim, do princípio até ao fim...
Não te disse com voz grave coisas simples de dizer, nem te disse a soluçar o que não consigo dizer. Não repeti que me fazes sentir bem, que me acalmas e completas as lacunas que há em mim, mas eu acho que tu sabes que é assim.
Quando me fizeste rir não te disse que me doeram as bochechas por não rir há tanto tempo e quando gargalhei fui invadido por uma descarga de felicidade interior que quase me fez chorar, mas não te disse isso, limitei-me ao olhar.
Podia ter-te dito que és uma estrela no meu céu, a luz do meu caminho, a minha lanterna... Ou dizer-te simplesmente que gosto da pessoa que és, da mulher que és, de ti. No limite dizer-te que se eu fosse mulher gostaria de ser exactamente como tu.
Ontem não te cumprimentei mais do que com uma palavra, sem beijos nem abraços e quando a noite avançou no calendário, quando me despedi, não fui capaz de dizer adeus, simplesmente te ofereci um sorriso e concentrei todas as minhas forças a lutar contra a vontade de te abraçar, tocar, sentir, cheirar a tua pele e entrelaçar os dedos no teu cabelo. Ontem não fui capaz...
Ficou por dizer que tenho sentido muito a tua falta.

7 passageiros clandestinos:

Blogger sp chamou a hospedeira e disse:

Que bonito!
Nem vou falar mais nada.
Um abra�o...

5:10 PM  
Blogger Fénix chamou a hospedeira e disse:

Essas fases em que sem toques, já se sente, são das mais belas.
Parabéns pelo post, muito lindo! :)

8:38 PM  
Blogger Curiosa chamou a hospedeira e disse:

Não que se relacione, mas… depois de ler, quase que em simultâneo, dei com esta música a tocar na minha cabeça:
http://br.youtube.com/watch?v=yH28A2qv5SI

5:01 AM  
Blogger maria-joão chamou a hospedeira e disse:

Post muito lindo de se ler, mas que, resumimdo a coisa... ontem portas-te-te (como raio é que isto se escreve?) muito mal.

5:31 PM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

Maria João:
Escreve-se: portaste-te!

2:09 AM  
Blogger By myself chamou a hospedeira e disse:

Este teu post é autêntica poesia escrita em prosa. Declaração original. Muito bonita.
Beijo

2:12 AM  
Anonymous Alberta Manso chamou a hospedeira e disse:

F.,

Por vezes muita coisa fica por dizer, mas basta o nosso olhar, aquele olhar, para que nos façamos ouvir.

Simplesmente lindo... Amei.

Beijos

Alberta

2:02 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit