sábado, abril 19, 2008

Assassinos

Mataram-me o sentimento
Vieram do nada
Não dei por ela
Foi num momento
Pela calada
Qual aguarela
Esborratada
Coitada…

Mataram-me o sentimento
E eu não fiz nada
Fiquei na cela
Sem um lamento
Alma entalada
Pele amarela
Cara enrugada
Desenganada…

Mataram-me o sentimento
Não sei mais nada
Numa viela
Cabelo ao vento
Num vão de escada
Linda vai ela
Toda emproada
Abandonada…

Mataram-me o sentimento
À machadada
Deixou mazela
Como um portento
Está levantada
Esta cancela
E eu vejo a estrada
Sem desgarrada…

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit