terça-feira, janeiro 18, 2005

Maré baixa

Chegam-se a mim, recebem-me e abraçam-me e dizem "Vem por aqui", e eu sigo-os, sorriso na alma e olhar desconfiado. As portas abrem-se, os sorrisos multiplicam-se e eu perco a desconfiança. "Faz assim que é melhor", e eu faço, e as portas continuam abertas e eu continuo a segui-los... depois vem a primeira tempestade, as portas fecham-se, os sorrisos escondem-se e a desconfiança volta a crescer, mas não é em mim. O meu barco aguenta-se bem, tenho uns remos fortes e uma vela cosida com nervos de aço. Vagas e mais vagas e continuo a remar... Bonança enfim: "vem por aqui", mas eu não vou, já não vou por aí...

2 passageiros clandestinos:

Anonymous Pecola chamou a hospedeira e disse:

Hmmm.. Que Cântico tão..... Negro.... =o)

2:31 PM  
Anonymous ana chamou a hospedeira e disse:

libertaste um sorriso.

10:45 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit