domingo, setembro 18, 2011

Reflexão pela manhã

Amizade: Palavra nobre, forte, reciproca e secular, quem tem amigos tem tudo.
Pouco mais a acrescentar, mais do que sentir, e saber.
Aqui há tempos partilhei uma missiva pessoal com uma pessoa amiga, uma espécie de carta-aberta-fechada que tinha escrito e enviado a outrém - num último esforço apaziguador - em forma de sumário, muito privado, sistematizado embora amalgamado, do que me ìa na alma como fruto de um acumular longo, lento e pesaroso de ocorrências, incidências, interferências, troca-tintas e dissabores desnecessários, imaturos e juvenis (e muito mal aconselhados); e que vieram a culminar no que provavelmente foi a maior traição de que alguma vez fui vítima na vida.
Provocou em mim uma Almalgama de efeitos indesejados e destructivos que tenho vindo a combater, defendendo-me, para os erradicar e andar para a frente!
Enfim, cá estamos, eu persisto, insisto e resisto... e não me canso de o dizer.
Essa pessoa amiga respondeu-me ontem, e com o seu comentário, e com a sua clarividência isênta e matura (porque a verdadeira amizade também deve ser isênta) sintetizou de forma prática e com analogías pertinentes o que têm sido os 2 últimos anos da minha vida, merece transcrição:

RE: Almalgama

Olá (again...)

Não te quis responder de imediato a "isto", achei que estarias ainda demasiado "quente", eu própria fiquei depois de ler algumas coisas, cenas que nem eu nunca sonhei que pudessem ter ocorrido. Absolutamente surreal.
Agora passados estes dias todos, respondo-te exactamente o que me ocorreu na altura:
Ela idealizou uma vida para ambos, sem olhar para Ti.
E tu, idealizaste uma vida para os dois, sem olhares para Ti.
No fundo, andaste a remar COM ela, sem saberes que era apenas POR ela. Demonstra um egoísmo abominável do outro lado.
Mas como bem sabes, todos os felinos caem de pé :D

Beijocas boas, meu Anjo


De facto quem tem amigos tem tudo!

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit