quarta-feira, junho 04, 2008

O email que virou Post (a solução está no fim)

Amiga,

o meu blog é pessoal, meio intimo e coiso... e neste momento está bastante caótico, não me apetece escarrapachar o link na maillinglist assim de repente... no entanto também não te quero privar de retribuíres o link, por isso toma lá um crash-course de sherlock para ver se consegues dar com ele... pensa que para tudo há sempre 2 análises que podem ser feitas: ao formato e ao conteúdo. a maioria das pessoas dá sempre mais atenção a um, descurando o outro... mas eles andam sempre de mãos dadas, completam-se, o formato, e o conteúdo...

"...dei 3 ou 4 passas no último cigarro antes do embarque e esmaguei a beata mal acabada num cinzeiro. de seguida dirigi-me em modo “stealth” pela manga de acesso até ao avião. prefiro sempre ser dos últimos a embarcar, a experiência diz-me que nessa altura os outros passageiros já estão calminhos e sentadinhos e não perco tempo parado no meio do corredor à espera que um saloio qualquer descubra como se abre o compartimento para a bagagem de mão.
à entrada da cabina uma hospedeira sorridente indica-me o meu lugar e sento-me com vontade de voltar lá para fora para acabar o cigarro. passa-me pela cabeça que geralmente viajo sozinho, e detesto-o cada vez mais. com sorte fiz o check-in com lugar junto ao corredor e perto de uma saída de emergência. o seguro morreu de velho, o que em mim se aplica como, ser paranóico para manter o instinto apurado. não obstante ignoro as instruções de segurança das hospedeiras porque não só as sei de trás para a frente, mas também porque me fazem rir...
após a decolagem desperto o cinto de segurança, e entretenho-me a observar as outras pessoas... depois o zumbido dos ouvidos acalma e é mais ou menos nessa altura que o comandante de vôo se dirige aos passageiros com indicações sobre o vôo, a velocidade a que se vai, a temperatura exterior, a e.t.a., e o estado do tempo no local de destino.
após esse momento, quando a maioria dos passageiros se está a preocupar mais com que tipo de comida de plástico com que os vão presentear, eu procuro concentrar-me na mecânica de vôo, o objectivo é identificar o momento de estabilização da rotação dos motores (parece uma pequena desaceleração), isto é, o momento em que o comandante liga o piloto automático e mantém o avião numa Velocidade de Cruzeiro optimizada segundo os cálculos do engenheiro de bordo: direcção do vento, pressão atmosférica, altitude, peso, tipo de aeronave, etc....
pensar nestes conceitos ajuda-me a passar o tempo, sobretudo em vôos de longo-curso, são conceitos que se podem facilmente transpor para a vida real com simples analogias que encaixam na perfeição naquilo que fazemos, no que queremos, no que somos...
...o resto do vôo é passado ou a agonizar estar mal preparado para as reuniões que vou ter, ou a antever as férias que vou passar, ou a fazer mentalmente jogos de xadrez de eu contra eu, onde ganho sempre, mesmo quando perco. por fim acabo por adormecer, e desejo ter sonhos com vasos chineses..."


quando descobrires diz-me que eu volto a colocar o teu link (que entretanto tirei para não fazeres batota com o technorati link search, lol)
se não conseguires avisa, mas como blogger competente que és não vais ter dificuldade.
bjs
F

Solução: Ao contrário do que se passa na vida real, a resposta neste caso está no formato e não no conteúdo. "Velocidade de Cruzeiro" é a única expressão que utiliza letras maiúsculas.
Nada mal para um disléxico, hun?! ;-)

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit