quarta-feira, dezembro 21, 2005

Memória dum debate que não vi

Lembro-me vagamente de ler uma notícia num Jornal qualquer, em 95 ou 96, a dizer que um tal de ex-Primeiro Ministro de Portugal iria agora assumir funções de Economista no Banco de Portugal, o mesmo banco que tal ex-Primeiro Ministro tinha deixado sufocado e à beira da banca rôta. Na foto dessa notícia, o tal ex-Primeiro ministro entrava pelas portas do Banco de Portugal, de andar altivo e impunemente vitorioso, como um pavão em periodo de corte.
Nessa altura em portugal as pessoas não tinham memória curta, lembravam-se bem dos fundos estruturais abusadamente mal canalizados e desaproveitados, lembravam-se das obras de estado feitas a la minute como a Via do Infante ou a estrada da Morte chamada IP3, as pessoasa lembravam-se (como esquecer?) da obra faraonica (aka mamarracho) que pretende ser o inutil CCB e que esconde para sempre o esplendor do Mosteiro dos Jeronimos, as pessoas lembravam-se do Buzinão e da crise economica generalizada que tão afamado economista tinha deixado como seu legado ao País.
Hoje tudo mudou, vivemos numa nação assolada por um fenomeno de amnésia colectiva que embora esteja a diminuir, ainda afecta quase 50% dos Portugueses...

0 passageiros clandestinos:

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit