quarta-feira, novembro 13, 2013

Hoje o meu Pai faria 85 anos.

Bradem sinos sem parar
Cubram de negro o firmamento
Levantem-se as ondas do mar
Sopre violento o vento

Ateiem fogo à floresta
Ponha-se o sol de vez
Padeça Deus da testa
Cristo na cruz outra vez

Chorem as flores no campo
Gritem abutres a voar
Os reis tirem o manto
Lancem crianças a afogar

Parem festas parem danças
Roubem as jóias do altar
Matem anjos com lanças
Flagelem-nos até sangrar

Sequem os rios do mundo
Sofram doentes com dores
Arranquem dos lagos o fundo
e do arco íris as cores

Morram soldados nas fileiras
Violem as leis da guerra
Arrasem cidades inteiras
Mova-se o céu e a terra

Queimem todas as searas
Arranquem da noite a lua
Extingam espécies raras
Draguem o Douro e o tua

Fechem para sempre o caixão
E fiquem cegos como eu
Os homens com vida de cão
Porque o meu pai morreu

(Julho de 1991)

Parabéns Papá...

4 passageiros clandestinos:

Blogger nêspera chamou a hospedeira e disse:

:’)

7:41 PM  
Blogger Smootha chamou a hospedeira e disse:

É lindo.
Beijo grande!

9:47 PM  
Blogger Henrique Mário Soares chamou a hospedeira e disse:

faz muito tempo que aqui não vinha e descobri esta maravilha. Fabuloso, Patrício. E o meu também :( um forte abraço.

4:55 PM  
Blogger Piloto Automatico chamou a hospedeira e disse:

Viva Henrique!
É de facto uma lacuna nas nossas vidas que nunca será preenchida, mais do que pela memória que atenua a saudade.
Grande abraço meu amigo!
F

5:56 PM  

Chamar a hospedeira para Postar um comentário

<< Regressar ao cockpit